28 de novembro de 2011

No Advento da Vida

Na Liturgia da Igreja Católica encerramos o Tempo Comum de 34 semanas e entramos noutro conhecido como ADVENTO, ou seja, a chegada, aparecimento do Emanuel(Deus conosco).
Gostaria porém de falar do ADVENTO DA VIDA. Vida e Advento. VIDA; mistério pleno pouco conhecido, mas muito cobiçado. Vida longa, vida curta, vida gratuita, vida cobrada, movimento intrínseco que só o mistério conhece, aliás, partida e chegada que não pertencem à esfera do humano, mas do divino. Mas é entregue ao humano a possibilidade do ADVENTO, ou seja, da espera. Esperamos mesmo sem que saibamos o dia, à hora. Esperamos mesmo em algumas vezes sem saber por que, pra que, o que. E por que esperamos? Porque o esperar vem de esperança. E a esperança é senão o dado motivador e misterioso da vida. Imaginemos como seria a VIDA sem que tivéssemos motivos e razões para esperar? A Espera é um pedaço da nossa transcendência. A Espera é um gole do ainda não. A espera é horizonte avistado ao longe. A espera é tempo de recomeço. A espera está grávida do advento.
O tempo de espera na vida, chegada, de aparecimento. Não deve ser um tempo de sofrimento, de martírio, mais sim um tempo de rever, de crescer, de olhar no espelho e conseguir enxergar a esperança que está sendo gestada. A pressa nos faz insensíveis às coisas mais importantes que temos na vida. Ter pressa pode nos transportar ao futuro sem que vivamos o presente, este que é gestação do futuro. Por isso a pressa aborta muitos sonhos, objetivos e muitas vidas. A espera minha gente é pedagoga que nos faz compreender através de nós mesmos.
Se ainda hoje muitas coisas não aconteceram na sua vida, não desanime. Não aborte pela pressa, mas confie no avento da vida nova que está sendo gestada.
Espere pelas coisas e insista nas pessoas, geste-as dentro de você, só assim estaremos transformando possibilidade em realidade, presente em futuro, pressa em espera, descrença em esperança. Não esqueça que existe sempre alguém muito perto esperando por você.