21 de maio de 2011

PARECE QUE FOI ONTEM


Parece que foi ontem, quando resolvi deixar a vida calma e tranqüila do sítio, para me aventurar num sonho novo e desconhecido. Sem muitas perguntas, deixei meu canto, meus pais e meus irmãos nas lágrimas e comecei perseguir uma voz que me incomodava. 
  O tempo foi passando e o desconhecido foi se tornando conhecido, cada dia, cada noite, cada lágrima, cada riso, cada conquista e cada derrota, nada mais me valeria senão completasse o caminho.
A estrada de antes e a rodovia de hoje troquei pelos trilhos e trilhas, estradas e céu que me levavam ao sonho do menino pobre do sítio.
O tempo foi norteando a vida e a vida foi delineando as opções e as opções foram sangrando e restituindo as perdas. Mas apesar de tudo, sempre valeu a pena  conquistar o sonho que me trocar o sítio pelos livros. O sonho que me fez não ser de ninguém e ser de todos. O sonho que não me preso a alguém, mas livre para todos. O sonho que me quis pastor de ovelhas. Mas sonhos sempre me deixaram claro sobre as renuncias e sobre as perseguições. Nunca tive medo do que sou, mas tremi quando pensei em não aceitar o que sou.
No curto tempo de 10 anos, o sonho se realizava e menino pobre do sítio, de pés descalço, de apenas um par de sapatos, de roupas sujas por arrastar-se atrás de carrinhos, de timidez acentuava se tornava padre. O que mudou? Não sei lhes dizer, mas posso afirmar o que não mudou; o padre continua  humano, chorão, corajoso, humilde, simples e convicto do sonho que se realizou em mim.
Não sou o mais santo, mas tive a coragem de muitos que se acovardaram. Encaro o sacerdócio como serviço, oferta, entrega. Pra mim só existe o peso das estolas que descem sobre meus braços lembrando do meu ofício e do que sacramentalmente está realizado em mim e o que devo ser para todos.
No dia que a Maria Aparecida e o Antonio José me trouxeram ao mundo nunca imaginaram o filho eu seria, mas certamente  são felizes por oferecer um filho padre para muitos.

Obrigado a todos vocês que me alegraram com e-mails, mensagem SMS, ligações etc. um carinho especial a minhas ovelhas da paróquia São Miguel Arcanjo, pela demonstração de carinho e amizade por este dia, confesso-lhes que fiquei surpreso ao ver tanta gente.
É minha gente a voz do sítio, nunca deixou de pronunciar meu nome. E hoje o que faço e pronunciar o nome Daquele que continua me chamando e pedindo CORAGEM.
O padre ama e se necessário dá a vida por vocês....