7 de outubro de 2011

OS FILMES DA VIDA

Estes dias após ver ao um filme – que por sinal já reprisou muitas vezes na TV e certamente reprisará outras vezes – pensava numas coisas que nunca havia pensado, talvez sou o único, mas gostaria de partilhar um pouco com vocês.
                Existem filmes que passam e mesmo já tendo assistido sempre dizemos que já assistimos e não vamos vê-lo novamente, porém quando chega aquela hora não resistimos e nos damos enfrente a TV. É sempre assim vemos muitas vezes aquilo que já vimos várias vezes e assim será. Quem de nós nunca assistiu TITANIC uma revolucionária obra cinematográfica. Eu já assisti várias vezes, e continuo assistindo, quando posso, toda vez que é reprisado. E por mais que a gente assista, quem de nós mesmo já sabendo toda a história desejamos que ver algo diferente. Quem de nós esperou que em alguma vez que o assistimos torcemos para que ele não se colida com o ICEBERG. Assim são vários os filmes, dei um exemplo do TITANIC, mas é verdade que existem outros.
                Por que digo tudo isto? Simplesmente porque a nossa vida é um filme, raras não são as vezes que reprisamos as cenas do filme da nossa vida, mesmo sabendo o seu final. Quantas vezes nos afundamos em problemas e situações que já nos sufocaram e nos fizeram sofrer, mas mesmo assim o filme da nossa vida continua se represando sem cessar.
                Quantas vezes não queremos mudar o filme da vida dos outros e esquecemos de assistir o nosso próprio filme, cuja essência é a nossa vida. Assim vão se reprisando no filme da nossa vida, tudo aquilo que devemos deixar de lado. Por isto assistir ao nosso próprio filme é ver que ele se difere dos filmes de TV no seu desfecho. Assim temos a obrigação de dar sempre um final diferente para o final do filme da nossa vida.
                Conheço pessoas que já se acostumaram e se acomodaram com o filme da vida, e continuam no mesmo final, sem coragem para mudar. Querem antes sempre assistir ao filme da vida dos outros e desejam mudá-los. Mas esquece de mudar o próprio filme da sua vida.
                Toda vez que assisto a um filme reprisado ele me faz questionar e pensar na minha própria vida. Mostra-me o quanto eu preciso a cada dia planejar e vivenciar um final ou um capítulo, ou cena diferente na minha vida, para que ela não seja monótona e repetitiva como os filmes de TV que não podemos mudá-los.
                Olhar para estes filmes de TV e olhar para os filmes da nossa vida. A única diferença é que os filmes da nossa vida, nós somos os verdadeiros e vivos protagonistas, assim podemos sempre mudá-lo e escrevê-lo a cada dia com nossas alegrias, esperanças, tristezas, lágrimas, perdas e conquistas, mas temos a oportunidade se sempre começar. Já os filmes de TV são como são, tristes, felizes, há sempre um bandido e um mocinho, alguns deles irreais, outros ilustração daquilo que foi, mas que já não podemos mudá-lo mais.
                Nos filmes de TV, os personagens (na maioria são fictícios), e nós somos os espectadores. Já os filmes da nossa vida, nós somos os protagonistas reais e as outras pessoas os espectadores, que choram ou riem dos nossos filmes, que batem palmas quando acertamos, mas que nos cobram quando erramos.
                Por fim quando você ver o reprise daquele famoso filme de TV, tente perceber como anda o filme da sua vida. Se ele lhe parece reprisado como o filme de TV, é sinal que sua vida está monótona e precisa urgente de um novo roteiro para o filme da sua vida.

Padre Renato Gonçalves