16 de janeiro de 2012

Pelicano Eucaristico; simbolo do Cristo e do Sacerdote

Sempre e por toda parte a refeição foi símbolo de união. Para nós, cristãos, a refeição por excelência é a Eucaristia, com caráter de sacrifício e de ação de graças, como perpetuação do único Sacrifício de Cristo para a Igreja e para a salvação do mundo.São Jerônimo, num comentário do Salmo 102, disse: “Sou como um pelicano do deserto, que fustiga o peito e alimenta com o próprio sangue os seus filhos”. Assim, o pelicano torna-se o símbolo do sacrifício e da doação de Cristo pela sua Igreja.
A principal característica do pelicano é única: uma bolsa membranosa que prende o bico, duas ou três vezes maior que seu estômago, que tem a finalidade de armazenar alimento por um determinado tempo. Assim, como a maioria das aves aquáticas, possui os dedos unidos por membranas. Eles são encontrados em todos os continentes, com exceção da Antártida; medindo até três metros, de uma asa a outra e pesando até 13 quilos.
Os machos são normalmente maiores e possuem bicos mais longos que as fêmeas e alimentam-se de peixes.
Na Europa medieval eram considerados animais especiais e zelosos que alimentavam os filhotes com o alimento que extraíam da sua própria bolsa e chegando a faltar alimento, dava-lhes o seu próprio sangue. Daí tornar-se um símbolo da Paixão de Cristo, da Eucaristia e da imolação, costumando a sofrerem de uma doença que os deixavam com marca vermelha no peito.
 Outra versão de que eles costumavam matar os filhotes e, depois, ressuscitá-los com seu sangue, o que seria análogo ao sacrifício de Jesus.
Fiel Pelicano, Senhor Jesus! Assim Santo Tomás chamava o Cristo em seu Hino Eucarístico, conhecido como “Adoro te devote” e reconhecia no Cristo a beleza da ave que alimentava com seu sangue os filhotes.
Com o passar do tempo, soube-se que na verdade o pelicano esmagava em seu papo os peixes e o sangue dos mesmos,  escorria pelo bico, manchando o peito branco da ave. Com isso, Santo Anselmo reconhece na figura do Pelicano também o sacerdote, que em suas mãos oferece o Peixe (ICTUS: "Iesus Christos Theou Uios Soter", que significa "Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador") e dá aos seus como alimento de Vida Eterna.
Temos consciência de que Eucaristia é a renovação da aliança do Senhor com os homens e que através dela se realiza de um modo contínuo a obra da Redenção. Temos convicção de que a Eucaristia é o sinal da unidade e vínculo da caridade e que também dela tende toda ação da Igreja e, ao mesmo tempo, é a fonte donde emana toda sua força (cf. SC. 522, 537, 537 e 600).
Que o Fiel Pelicano nos ensine amar mais a Eucaristia, Sacramento no qual Jesus se acha presente, com seu corpo, sangue, alma e divindade. Ele é banquete sagrado, “o pelicano fiel a nos inundar com vosso sangue, sangue no qual uma só gota pode salvar o mundo inteiro” (Santo Tomás de Aquino).


Artigo de Padre Renato Tampellini