14 de março de 2012

Escuridão passageira

Esta noite acordei repentinamente, me vi perdido no tempo e no espaço de um pequeno quarto. Não fazia idéia de que horas já marcavam. Tive medo de perder hora para me levantar. Não me lembro exatamente o que sonhava e se sonhava. Procurei rapidamente o aparelho celular tentando recorrer a sua funcionalidade para saber que horas marcava. Como vivemos presos ao tempo, à hora. Depois de cegamente percorrer minha mão pelo meu criado mudo o encontrei, mas triste noticia ele estava descarregado. Tive medo de me levantar e não achar o chão. Pensei então em apalpar o interruptor que fica próximo a cabeceira da cama. Depois de alguns segundos consegui encontrá-lo e clicá-lo, mas triste noticia não havia sinal de luz. Pensei que a energia estava com problema ou então, que a lâmpada já havia cumprido sua sina. O medo aumentou. Resolvi continuar em minha cama, tentei buscar o sono novamente, mesmo sem sonhos, mas foi em vão. A escuridão de um pequeno quarto, mais parecia um abismo de trevas e de um temor desconhecido. Que falta faz luz, mesmo que seja num quarto pequeno de uns 3 metros por 2 metros. Tomei coragem e me levantei acabei deparando com alguns objetos que por conta do escuro havia até me esquecido que estavam ali. Abri desesperadamente a janela do quarto que fica no segundo andar e se enxerga a rua. A rua deserta, mas com luz mostrava que o problema era na lâmpada do meu quarto. Consegui com custo por o aparelho celular para carregar, verifiquei a hora e ainda tinha muita escuridão pela frente, mas tinha certeza de que o amanhecer traria sua luz própria.    
Lembrei-me de quantas pessoas vivem presas, deitadas em seu quarto escuro. Algumas não têm coragem de levantar, se acomodaram na sua escuridão de mentiras. Existem aquelas que vão à janela alta e se jogam, preferiram interromper sua vida a sair pela porta dando assim uma oportunidade de luz a si mesma. A escuridão tem do dom de nos inibir, nos castrar, nos destruir, nos aprisionar, nos escravizar e nos condiciona ao escuro, ao erro, a mentira. Pessoas mesquinhas, hipócritas que querem nos trancar em quartos escuros, elas vivem na escuridão da mentira e querem levar outros para o mesmo fim. A escuridão na vida todos nós passamos, todos nós estamos sujeitos, mas é preciso não se acostumar com ela, não alimentá-la. A escuridão é como um sonho, muitas vezes nos satisfaz, nos faz ser o que não somos. É preciso sempre acordar para que a vida continue, seja vivida, labutada, para que não sejamos apenas de um sonho mal sonhado, mas de vários sonhos realizados. É preciso ter a coragem de se mexer, de levantar do leito escuro, mesmo que este movimento nos cause trombadas, quebre algo, mesmo que esbarre em limites, em cabeçadas, sempre vale a pena levantar da escuridão.
Se hoje você se encontra no leito escuro da vida, na escuridão de um quarto sombrio, nebuloso, de mentiras, de vícios. Levante-se, não se jogue pela janela porque talvez ela seja a luz mais fácil para uma saída. Não se importe em trombar, dar cabeçadas, mas procure a porta e acenda a luz da sua vida, a luz da esperança, do recomeço. Não se esqueça; escuridão foi feita pra ser passageira e não eterna. Mas vida foi feita pra ser vivida embora em fases escuras e luminosas seja verdade, mas eterna. Não aprisionada para sempre num leito escuro.